Mês: agosto 2019

Espiritualidade Política

Espiritualidade Política

By admin in Uncategorized on agosto 30, 2019

No mês de agosto, Rodrigo Toniol, coordenador do projeto de pesquisa “Espiritualidade Institucionalizada”, publicou uma resenha crítica do livro “O Enigma da Revolta”. Disponibilizamos aqui os links para o texto em sua versão em português, publicada no Jornal O Estado de São Paulo, e em castellano, publicada no blog da Red Diversa. Também mencionamos uma entrevista realizada com Toniol sobre o tema, publicada pelo Instituto Humanitas, da Unisinos.

Texto em português – https://cultura.estadao.com.br/blogs/estado-da-arte/espiritualidade-politica-e-nossa-imaginacao-de-outros-futuros/

Texto em castellano – http://www.diversidadreligiosa.com.ar/blog/foucault-y-la-espiritualidad-politica/?fbclid=IwAR21SH5s5MQAlci169ZrdLzDzWY6KvVBIdeGVdtoyilhomUXeT53sp5hOGM

Entrevista – http://www.ihu.unisinos.br/592089-espiritualidade-politica-e-a-possibilidade-de-outros-futuros-entrevista-especial-com-rodrigo-toniol

Entre espiritualidade e ciência: debates e disputas

Entre espiritualidade e ciência: debates e disputas

By admin in Uncategorized on agosto 19, 2019

Por Luciana Cavalcanti

O termo “espiritualidade” se revela extremamente amplo e de difícil definição, sendo muitas vezes associado a um distanciamento das pessoas das instituições religiosas, por um lado e, por outro, a uma ênfase na valorização da dimensão subjetiva da experiência do sagrado ou do transcendente. Além disso, esse termo tem se mostrado relevante para a medicina e a ciência em geral, sendo frequentemente mobilizado, em uma tendência mundial de atenção a esse tema pelo viés da saúde e do bem estar. No entanto, o caráter abrangente e pouco delimitado da palavra torna muito complexas as discussões sobre o seu uso no campo da saúde.

Como tem sido observado por nosso grupo, nos diversos projetos que compõem a pesquisa “Espiritualidade Institucionalizada”, é marcante a percepção de agentes e instituições da área da saúde (internacionais e nacionais) de que a espiritualidade constitui uma dimensão da saúde humana, sendo que, em geral, essa categoria é mobilizada como um fator positivo para o bem estar.

Complementarmente às pesquisas em andamento do NUES, preocupadas em identificar o crescente uso da categoria nos campos da clínica médica, das políticas públicas e pesquisas científicas na área da saúde no Brasil, que associam a “espiritualidade” como um fator de maior saúde, pretendo olhar para o papel de uma ciência que adota o lugar do ceticismo e contesta os desdobramentos dessa tendência observada.

Para isso, acompanharei a atuação do Instituto Questão de Ciência (IQC), uma instituição de divulgação científica inaugurada no final de 2018, na cidade de São Paulo, e que declara ter como missão lutar para que as políticas públicas do país tenham embasamento científico, combatendo, assim, o desperdício de dinheiro público. Quero atentar-me ao discurso adotado pelo Instituto, tentando identificar os possíveis elementos de um certo cientificismo que é mobilizado para criticar aberta e duramente diversos tipos de terapias alternativas, como a homeopatia e o reiki, colocadas pelo IQC num mesmo grupo junto a diversas outras, sob a denominação de “pseudociências”.

Num rápido percorrido pela revista online do instituto, é possível identificar uma defesa obstinada da importância das evidências e comprovações científicas para as questões de saúde e para a vida pública de uma maneira geral, como forma de tornar as políticas e os investimentos públicos válidos. Terei como foco, portanto, os debates que tomam lugar a partir das contestações que a Ciência com C maiúsculo faz a algumas práticas que, de certa forma, são consequência da ideia de que “espiritualidade faz bem para a saúde”, mas não só, como é o caso de terapias que simplesmente se baseiam em outros sistemas de conhecimento.

Nesse sentido, baseada na perspectiva teórica da controvérsia, pretendo analisar as discussões que se produzem entre o IQC e os diversos agentes envolvidos, tais como os cidadãos que usam esses tratamentos, terapeutas, biólogos, médicos, físicos, jornalistas, a opinião pública, políticos e políticas públicas e, agora, antropólogos. Tais atores se mobilizam em debates sobre a efetividade das terapias alternativas e os seus processos de institucionalização, seja no sistema de saúde ou no apoio a pesquisas. A controvérsia também toca a questão da validade ou da legitimidade desses tratamentos, questionados por um olhar científico, acabando por levar a disputas sobre o que deve orientar o investimento público, sendo, assim, esse tema de interesse social.

Em um contexto político de ataques direcionados à ciência e à educação, assim como de desmonte da máquina pública e de cortes em outras áreas, o papel da divulgação científica mostra-se importante pelo seu caráter informativo, desmistificador e contestador. No entanto, me parece necessário, e é isso que pretendo fazer em minha pesquisa, atentar-se para o lugar dos debates e disputas, intrínsecos a uma realidade que se mostra plural e, muitas vezes, contraditória.

Colóquio Internacional Religião e Corporeidade

Colóquio Internacional Religião e Corporeidade

By admin in Novidades on agosto 6, 2019

Entre os dias 24 e 26 de setembro o PPGAS/Unicamp receberá a visita do Professor Thomas Csordas. A vinda de Csordas é apoiada pela Fapesp, por meio do projeto de pesquisa Espiritualidade Institucionalizada, e também servirá como mote para a realização do Colóquio Internacional Religião e Corporeidade.

O colóquio terá como atividades principais um seminário de oito horas ministrado por Csordas, apresentação e debate de trabalhos e uma mesa redonda final. Veja abaixo o detalhe da programação e as instruções para submissão de proposta de trabalho.

24/09 (manhã/tarde) – Seminário com Thomas Csordas

25/09 (manhã) – Apresentação de trabalhos

26/09 (manhã) – Apresentação de trabalhos

           (tarde) – Mesa redonda de encerramento

Serão selecionados 6 trabalhos para apresentação e debate. Os trabalhos devem ser submetidos em forma de resumos (em português e inglês – até 200 palavras ), enviado para o email: [email protected], até o dia 21 de agosto.

Para mais informações, enviem email para [email protected]

Religious Matters in Public Space

Religious Matters in Public Space

By admin in Novidades on agosto 2, 2019

Em maio deste ano, por ocasião da visita de Birgit Meyer à Unicamp, realizamos uma série de atividades no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. A visita de Meyer estava associada ao lançamento do livro Como as coisas importam. Um abordagem material da religião. Naquela semana, ela também proferiu a aula inaugural do PPGAS, que agora disponibilizamos aqui em forma de vídeo.